sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

MENTE E SAÚDE

RELAÇÃO MENTE E SAÚDE


As experiências clínicas e laboratoriais cada vez mais demonstram a relação da mente com a
nossa saúde orgânica. Estamos otimista com o avanço das pesquisas para que no futuro esta
relação seja mais valorizada e conhecida.

Mais uma vez, buscamos em André Luiz a confirmação da importância desta relação: "No
homem a corrente mental assume feição mais elevada e complexa.

No cérebro humano, gabinete da alma erguida a estágios mais nobres na senda evolutiva, ela
não se exprime tão só à maneira de impulso necessário à sustentação dos circuitos
orgânicos, com base na nutrição e reprodução. É pensamento contínuo, fluxo energético
incessante, revestido de poder criador imaginável.

Nasce das profundezas da mente, em circunstâncias por agora inacessíveis ao nosso
conhecimento, porque, em verdade, a criatura, pensando, cria sobre a Criação ou
Pensamento Concreto do Criador.

E, após nascida, ei-la – a corrente mental – que se espraia sobre o cosmo celular em que se
manifesta, mantendo a fábrica admirável das unidades orgânicas, através da inervação
visceral e da inervação somática a se constituírem pelo arco reflexo espinhal, bem como pelos
centros e vias de coordenação superiores.

E, assim, percorre o arco reflexo visceral, vibrando:

1) nas fibras aferentes, cuja tessitura celular permanece nos gânglios
das raízes dorsais e dos nervos cranianos correspondentes;

2) nas fibras conectoras mielínicas que se originam na coluna intermédio-lateral;

3) nas fibras motoras originadas nos neurônios ganglionares e que terminam nos efetores ou
fibras pós-ganglionares.

Acima do nível espinhal, vibra, ainda:

1) na integração pontobulbar em que se hierarquizam reflexos importantes, como sejam
os da pressão arterial;

2) no conjunto talâmico e hipotalâmico, em que se mecanizam os reflexos do Espírito:

3) na composição cortical.

A corrente mental, segundo anotamos, vitaliza, particularmente, todos os centros da alma e,
consequentemente, todos os núcleos endócrinos e junturas plexiformes da usina física, em
cuja urdidura dispõe o Espírito de recursos para os serviços da emissão e recepção, ou
exteriorização e assimilação dos pensamentos alheios."

Se é bem verdade que os nossos desajustes mentais são mais evidenciados na interferência
da harmonia física pela intensidade que aparecem, a recíproca também é verdadeira.
Pensamentos de otimismo, sentimentos fraternos e altruísticos, a fé ativa, a alegria sadia, a
paz e a serenidade interior, são tantos outros elementos geradores de equilíbrio e de saúde.

Dentre os fatores que nos auxiliam para a perfeita saúde, destacamos a meditação e a prece
como agentes de elevação do pensamento e conseqüente repercussão na biologia molecular.

A meditação e a prece feita de coração, com sinceridade, conforme a intensidade da certeza
e da vontade (fé), aliada ao sentimento de amor, pode alcançar freqüências tão altas capaz
de atingir planos de grande elevação espiritual de onde provem o auxílio divino.

Ao orarmos, desligamos os nossos pensamentos das preocupações materiais, vulgares,
buscando a nossa harmonização íntima. Esta simples atitude já provoca um relaxamento das
tensões psíquicas e das tensões musculares, favorecendo o fluxo energético e sangüíneo. A
concentração alicerçada na fé, sentimentos nobres, imagens mentais sublimadas, elevam a
freqüência das onda mentais, expandindo o nosso perispírito, desbloqueando os canais
psíquicos, afastando os fluidos deletérios acumulados, renovando as células cansadas,
tonificando o nosso sistema nervoso e estimulando todo o funcionamento glandular na
manutenção do equilíbrio orgânico. Em resposta a tudo isto, ainda vem o alimento espiritual
do alto, este remédio divino refrigerando as nossas almas, nos alcançando o ânimo, a
coragem, afastando as angústias, os espíritos perturbadores, sustentando as nossas forças
para prosseguirmos na nossa jornada terrena e alcançando as inspirações para as soluções
de nossas dificuldades.

A prece é um dos maiores instrumentos terapêuticos. É um grande recurso que a própria
medicina está reconhecendo. Muitas pessoas se curam pela fé, acionando essas energias
anímicas e espirituais. O hábito da oração deveria ser natural para todos os seres humanos.
Assim como necessitamos da higiene corporal e do alimento diário, precisamos desta
higiene espiritual e deste alimento divino. O contato contínuo com Deus nosso Pai é tônico
para as nossas almas. Desconsiderar este recurso é o mesmo que afastar o galho do tronco
de uma árvore. Chega um dia que ele resseca pela falta da seiva que vivifica suas folhas.

"No circuito de forças estabelecido com a oração, a alma não apenas se predispõe a
regenerar o equilíbrio das células físicas viciadas ou exaustas, através do influxo das energias
renovadoras que incorpora, espontaneamente, assimilando os raios da Vida Mais Alta a que
se dirige, mas também reflete as sugestões iluminativas das Inteligências desencarnadas de
condição mais nobre, com os quais se coloca em relação.

Orar constitui a fórmula básica da renovação íntima, pela qual divino entendimento desce do
Coração da Vida para a vida do coração." (André Luiz em Mecanismos da Mediunidade)

Não podemos esquecer que não basta orar, mas saber como orar.
Para não nos alongarmos muito nesta questão, sugerimos a leitura do capítulo 25 do
Mecanismos da Mediunidade sobre oração, e as mensagens "A Terapêutica da Prece" e "A
Oração Curativa" ditadas, respectivamente, por Dias da Cruz e Eustáquio através da
psicografia de Chico Xavier inseridas no livro Instruções Psicofônicas.

A mentalização com a visualização do órgão afetado, emitindo ondas mentais de saúde,
atuam sobre a mente das células gerando um condicionamento biológico positivo,
estimulando as células a se regenerarem.
A vontade é o importante agente que aciona os nossos potenciais anímicos. Alavanca do
pensamento, por ela impulsionamos as nossas forças psíquicas para alcançar os objetivos
almejados. Recurso poderoso, deve ser cultivada e fortalecida em nosso íntimo para a
movimentação do nosso campo mental em favor da disciplina das nossas emoções.

O estudo do pensamento é o estudo da nossa natureza íntima e do instrumento corporal que
recebemos para exteriorizar na Terra a nossa individualidade. Tudo isso nos leva a
reconhecer o amor de Deus nosso Pai por cada um de nós que nos possibilita esses
instrumentos para a conquista de nossa felicidade plena conforme a responsabilidade com
que usufruímos as dádivas sublimes. Com o sentimento de veneração pela obra divina que
somos, cabe nos apenas a profunda gratidão à Deus e o cuidado respeitoso que devemos ter
pela nossa saúde mental e física.

Para finalizar, recordamos a afirmação de Calderaro: "É indispensável penetrar a alma,
devassar o cerne da personalidade, melhorar os efeitos socorrendo as causas; por
conseguinte, não restauraremos corpos doentes sem os recursos do Médico Divino das
Almas, que é Jesus-Cristo."

PENSAR É CRIAR. E TODA CRIAÇÃO TEM VIDA E MOVIMENTO.

PENSAMENTOS GERAM NOSSOS ATOS E NOSSOS ATOS GERAM PENSAMENTOS
NOS OUTROS.


Dr. Gilson Luis Roberto
gilsonlr@terra.com.br

Um comentário:

"DIÁRIO DE BORDO" disse...

É UM ENSAIO MUITO INTERESSANTE ,POIS DIMISTIFICA O ASPECTO EXTRAORDINÁRIO QUE A MAIORIA DOS ESPÍRITAS - QUE NÃO ESTUDAM , INSISTEM EM DAR À DOUTRINA E AO ESPIRITISMO.VALE A PENA!