quarta-feira, 29 de julho de 2009

SÉRIE PRA PENSAR...

Sobre a Confiança e a Amizade


Nestes últimos dias venho pensando um pouco mais profundamente sobre estas questões tão importantes para a nossa vida de relação. Talvez seja mesmo verdade que o nosso pensamento sempre conduz a nossa ação para o que nos aflige, preocupe ou incomode. Acho até que esta seja uma estratégia de sobrevivência para o enfrentamento das questões da nossa vida e que podem nos levar a escolha de um caminho, de uma atitude ou uma ação que precisamos tomar em relação a uma determinada situação que estamos vivendo.
Para falar de Amizade e Confiança, precisamos falar da Vida, tanto no seu sentido mais ampliado como no seu sentido mais intimo, mais pessoal. É muito difícil externar sentimentos e impressões que guardamos dentro de nós e formam o arcabouço e a sustentação das nossas relações de vida. Desde sempre, crescemos e vemos crescer em nós algumas atitudes que acabam por moldar a forma e a maneira como somos, como nos mostramos e como somos vistos. Ao fazermos as nossas escolhas, estamos orientando as nossas preferências e os nossos caminhos, a cor que gostamos, a roupa que odiamos, o nosso time de coração e até os nossos amigos. E é o conjunto dessas coisas que constroem a maneira como vemos e nos relacionamos com o mundo que habitamos.
São as nossas atitudes que nos dirigem pra os lugares em que estamos e para as pessoas que convivemos.E mais ainda, são os nossos sentimentos que nos fazem escolher no nosso caminho, os lugares e as pessoas que gostamos. Assim, acho que vamos estabelecendo a nossa rede de amigos, os lugares que gostamos, os cheiros e os aromas que nos dão prazer, as flores e as frutas que mais gostamos, e vamos construindo os nossos afetos – e os desafetos também e aprendemos a conservar as nossas lembranças. Longe de ser piegas, penso que esse processo é ao mesmo tempo comum a todo mundo e particular a cada um de nós. Acredito que é dessa maneira que construímos a nossa individualidade e desenvolvemos as nossas afinidades.
Só assim, podemos experimentar as diferentes situações que se apresentam para nós. Se conhecemos um pouco a nossa condição e criamos em torno de nós uma ambiência favorável , estaremos valorizando todo o esforço que naturalmente tivermos de empreender para o alcance desse estado em nós e no nosso caminho . Por isso, penso ser de grande importância e valor a conquista da Confiança e da Amizade em todas as nossas relações. Precisamos cultivar esses sentimentos com os nossos familiares - vejam como é fundamental essa prática dentro de casa, entre os que compõem um núcleo familiar, com os nossos colegas de trabalho - com a parceria e a integração fortalecendo um propósito comum e entre os verdadeiros amigos – trazendo a cumplicidade e a parceria para o convívio.
Mas, a questão que ora tem me feito pensar é a seguinte: Como agir quando a desconfiança começa a aparecer? Se estamos nos esforçando para deixar (re) nascer em nós o homem novo, como devemos nos comportar? Será que essa não é uma oportunidade para experimentarmos em nós o que apontamos para os outros? Porque será que nos incomodamos tanto na posição de traídos? São respostas difíceis – e em muitas vezes, até nem estamos preparados para recebê-las. De qualquer forma, é sempre bom pensar sobre essa(s) questão (ões). Vamos lá, então....?

Um comentário:

rosangela disse...

Olá!!!,é bem interesante,ler estes textos criados por vc. quem te conhece sabe bem de toda a sua sensibilidade,sinceridade e transparencia.Vamos lá !!sim a busca de nossa evolução.
P A R A B E N S!!!!!!!!!!!